The Indian Job - Pt.1 "Normal speed suits every need" / by Joel Araújo

Tempo de leitura: 3 minutos

Imagem por: Gen Design Studio

Normal speed suits every need

O mote

Esta frase pode ser lida em várias placas espalhadas pelas principais vias de trânsito da cidade de Nova Delhi. Em Portugal teríamos simplesmente sinalética vermelha ou azul com velocidades máximas e mínimas obrigatórias. Em Portugal. Na Índia as coisas não funcionam assim. Na índia, uma regra não é mais que uma mera sugestão.

Definir “normal speed” fica ao critério de cada um. Da mesma forma que os horários de trabalho, o valor de um lenço de caxemira ou o número de pessoas que cabem num Tuk Tuk*, ficam ao critério de cada um.

*O recorde vai em 15.

 
 

Once in a lifetime
Algures em Março ou Abril, a Gen perguntou através de um inocente mail, quem estaria disponível a ir para a índia durante uns tempos, com dois objectivos muito específicos: Descobrir se o latão oxida, e trabalhar em conjunto com um cliente de longa data, que inclusivé já possibilitou viagens anteriores.

Sem sequer pensar, alistei-me na recruta, mantendo porém fracas expectativas de ser selecionado. Fast-forward até finais de Junho, e aqui estou eu, com outros 4 amigos. Um casado, outro semi-casado, outro com namorada e eu, um solteiro acabado de desembarcar em terras virgens. Todos diferentes, mas todos juntos numa verdadeira cruzada dos tempos modernos, munidos de computadores portáteis, protector solar, uma palete de Imodium e citronela, muita citronela.

 
 

Os primeiros dias
As nossas duas primeiras semanas cá foram assim: Perceber que tudo aqui funciona de forma orgânica, flexível e fortemente improvisada, fruto de anos a aperfeiçoar um sistema que por defeito é imperfeito. À chegada, logo à saída do aeroporto, todo aquele calor intenso, a mistura de cheiros, as apitadelas, a confusão (isto às 23h30) foram tão previsíveis que quase mereceram uma gargalhada. Estamos por nossa conta, e eu estou a adorar cada minuto.

Dois meses na Índia equivalem a pelo menos quatro meses em qualquer outra parte do mundo, portanto nesta mini-série de estórias, vou partilhar um pouco do que é a realidade automobilística neste novo mundo, dividindo-as em 4 episódios:

 

Próximos episódios:
Pt.1:
Normal speed suits every need.
Pt.2: Branco mais branco, não há.
Pt.3: O trânsito em Nova Delhi
Pt.4: Uma autoestrada na Índia (para terminar em beleza)

 

As expectativas
Neste país, a linha que separa um péssimo condutor de um excelente parece-me muito ténue, e é algo que ainda não aprendi a avaliar. Algo que, paralelamente ao comportamento químico do latão, irei descobrir até Setembro.

Podem ver mais fotos nas publicações regulares sobre a viagem nas stories do meu Instagram

 

Esta história foi
escrita ao som de:

 

Between the Buried and me
Automata II
(2018)